domingo, 25 de julho de 2010

Abastecimento mundial, uma preocupação para evitar o caos!

Um dia você acorda, quer beber um copo d'agua, vê que não tem água em casa, o galão de 20 litros não foi renovado e está vazio, a água da torneira é bem inviável, visto a quantidade de cloro que ela contém para seu tratamento, além do fato de não ser filtrada. Você também não possui aqueles filtros que pegam a água da rede e a deixam pronta para o consumo com as opções de 'natural' ou 'gelada', então você sai e compra no mercado ou padaria, uma garrafa d'agua para beber, envasada lá em Campos do Jordão por exemplo ou qualquer outra cidade.


Esta, em embalagem plástica selada há muito tempo com aquele plástico curtindo e se foi exposto a grandes temperaturas, nos tranportes e armazenamentos temporários até chegar a prateleira, já soltou elementos do plástico na água, que você vai beber, mas é um pouco insignificante, porém, está longe de ser a água que a mãe natureza nos oferta.

Assim como os alimentos, quantos dos alimentos que comemos estão longe de ser a oferta da mãe natureza? A quantidade de alimentos modificados maquiados por uma embalagem dentro das normas e que faz parte de nossa rotina, muitas vezes é química pura. Acidulante, aromatizante, corante, conservante, é tanto 'ante' que os alimentos são quase que uma fantasia. Sabor uva, que delícia! Surpresa! Tem apenas 1% de uva. Mas isso é apenas a ponta do Iceberg, e faz parte de uma necessidade de suprir a demanda e a oferta de nós consumidores e o abastecimento, que é assunto desse 'post'.


Sim, o abastecimento pra ser viável, torna-se difícil o cultivo de tudo integral e 100% natural, além do que, como vou colher uma fruta ou produto e ofertá-lo para um consumidor, além de deixar exposto na prateleira por 10 dias até ele comprar? Como farei isso sem os 'antes' citados acima, além de agrotóxicos? Não é possível, não nesse sistema. O abastecimento de toda população não é possível sem o uso de química tornando os alimentos quase que artificiais. Mas o que é plausível, porém precisariamos viver todos com características de cidade do campo, seria a agricultura de subsistência, fazendo com que a pressão no abastecimento fosse menor.

A agricultura de subsistência é embasada no fato de cada proprietário ou família produza plantando uma boa parte ou talvez a totalidade de seus alimentos, tornando quase que sustentável seu modo de vida, e também tendo mais qualidade de vida, porque estariam ingerindo menos química e produtos artificias, os temíveis 'antes', com certeza haveria diminuição de algumas doenças, uma delas, o câncer.

É nesse cenário que vemos o quanto estamos reféns do abastecimento. Navio, caminhão, trem, são tantos os meios de transporte circulando abastecendo a população que qualquer colapso que afete o abastecimento, milhões de pessoas morrem de fome em semanas, e isso já acontece com as pessoas que vivem na miséria morrendo de fome todo dia. Você não consegue hoje numa cidade se sustentar somente pela natureza, você precisa comprar algo para se manter, estamos longe, muito longe da natureza. Estamos grudados no sistema do dinheiro. Onde você consegue água da natureza pra beber hoje? Resposta: Não há! Se quiser uma fruta, talvez consiga umas 3 frutas diferentes porque sua vó ainda tem no quintal dela, mesmo assim não te sustentará.


Se o ser humano não se atentar a isso, cuidando do meio ambiente e pensando numa nova distribuição populacional auto-sustentável, ficaremos reféns do abastecimento que é comandado por interesses comerciais. Não bastasse o fato da comida e a água chegar até os locais de destino, ao chegar, mais de um terço dos alimentos são desperdiçados, viram lixo, ficam na prateleira até vencer, e pessoas morrem de fome no mundo todo, aproximadamente 2 bilhões de seres humanos dormem com fome todo dia e vivem subnutridos, algo está muito errado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário