sábado, 24 de julho de 2010

Elimine tudo que atrasa sua vida!

É sem dúvida uma palavra forte, talvez simples ou mais usual pra pessoas menos enraizadas ou mais aventureiras que não gostam de rotina, mas a palavra "eliminar", ainda mais por se tratar de nossa vida, é uma coisa indescritível, marcante, traumatizante, amedrontadora.

Já parou pra se questinar "O que é importante na sua vida?". Após responder essa pergunta você se programou para deixá-las em ordem de prioridade e despender seu tempo de acordo com a importância de cada ítem? Não?! Ok! Tudo bem se na frente haver um objetivo que tal prioridade pode no momento não ser prioridade.

Mas se pararmos pra pensar e nos reprogramar, veremos que o tempo, que é tão precioso e preocupante em nossas vidas, é desperdiçado porque vivemos sem objetivo, vivemos cada vez mais em objetivos coletivos, muitas vezes levados pela onda dos padrões que a sociedade acaba impondo e que deixa agente pesado e preso para aquilo que eventualmente nos faria feliz, completo e satisfeito.

Imagine agora que você está andando em um carro que representa sua vida, sua jornada. Concorda que pro carro percorrer o caminho mais rápido e se arrastar menos, tendo uma melhor performance, eu tenho que eliminar o peso desse carro? Assim é nossa vida, se você não eliminar o peso que te trava, como quer ter uma melhor performance na sua jornada? Deixando o carro incompatível com o perfil que tenha mais tendência para atingir o objetivo, você caminha cada vez mais em vão, e se engana com suspiros de esperança que te faz continuar num véu de ilusão alimentado pela sociedade.


E vivemos nos arrastando, e cada vez que estamos mais distante de nossa felicidade, o que nos satisfaz são felicidades alheias na qual nos imaginamos temporariamente fazendo parte dela. Seja quando mergulhamos nossas vidas nas novelas, nos jogos de futebol, canalizando toda nossa energia para coisas que estão distante da nossa verdadeira possibilidade de fazer a diferença, e isso muda se vermos em nós mesmos o agente transformador de nossa própria felicidade.

Não é uma felicidade comprada ou adotada pelos padrões tradicionais, então para isso, eliminar o que nos prende, faz com que nosso carro fique mais leve, fique menos aflito ajudando nossa mente e nosso corpo à galgar sonhos antes pouco plausíveis. E assim, não é necessário mergulharmos em felicidades alheias fabricadas pela sociedade, pois daremos valor mais à nós e nossos sonhos, porém, sem deixar de apreciar e bater palmas para a felicidade alheia também, pois ser humilde é um legado importantíssimo para ser feliz.

Sabendo da importância de se eliminar o que não nos faz bem ou o que só nos deixa aflito e ansioso, você vê pessoas presas em namoros e relacionamentos que resistem apenas pelo medo de vivermos fora do padrão da sociedade, sociedade essa que transforma as pessoas e coloca na cabeça delas que é imposssível elas viverem e vencerem na vida sozinha, termo esse que é bem deturpado.


Vencer sozinho ninguém vence, temos ajuda de amigos, pessoas do bem, familiares e pessoas que cruzam nossos caminhos e tem a mesma sintonia da gente, mas o sozinho que as pessoas confundem é o sozinho de relacionamento. E com isso, ficam postergando relacionamentos doentios que só lhe trazem mal, que só as deixa bonito pra fora porque a sociedade vê que tal pessoa é legal, ela namora há X anos, agora está noiva e vai casar, nossa que legal né?! Sim, legal se o coração da pessoa condiz com essa realidade, é fascinante! Mas quantas pessoas tem medo de eliminarem relacionamentos que não são bons pra ela porque as pessoas não podem enxergar ela sozinho ou começando do zero, cada vez mais afundado o pé na lama, as pessoas tem medo de tentar sair, e então, se afundam até o pescoço.

Esse exemplo também é excelente no ambiente profissional, você já reparou quantas pessoas não gostam nem um pouquinho do seu trabalho? A nossa sociedade impôs que temos que trabalhar por dinheiro/status e não por vocação ou prazer, será que a sociedade seria menos doente se isso não fosse verdade? Eu tenho certeza que sim! Mas e o medo? O que as pessoas vão dizer né? O que sua família vai dizer? Talvez uma família conservadora diga: "Filho, você seria a terceira geração de engenheiros da família! E faz isso?". Quantas pessoas já não ouviram coisas desse tipo? Várias!

Fruto de uma sociedade doente que não aprendeu a eliminar o que não as faz feliz, e quando tem essa consciência já não tem tanta saúde ou disposição pra correr atrás tudo denovo, e então o medo da impossibilidade e a comodidade de já estar onde está, adotamos a inércia como virtude de vida.

Nós não aprendemos a lidar com esses melindres da vida, o que fariamos se o medo não fizesse parte da gente? Nos dariamos mal em muitas ocasiões, mas iriamos muito mais longe em várias outras. Agora um passo simples e de muita coragem é: Elimine tudo que te pese na vida!


Está na hora de eliminar o que te atrasa e ir atrás do verdadeiro prazer de viver e do sentir-se feliz. A felicidade é um estado e não uma coisa que se busca e fica parado nela. A felicidade é flexível e se você não for como ela, será infeliz. Portanto não tome suas atitudes pensando em padrões ou no que parece mais usual, ouça um pouco o coração, porque o corpo em sinergia também sente, e sendo assim ficará mais fácil você estampar um sorriso no rosto sempre. Pense nisso!



Curta a página do blog Verde Filosofia também no facebook :)

http://facebook.com/MelMascavo

Conheça a mais nova marca de roupas de algodão. Ecológicas, confortáveis, 100%brasileiras! Uma alternativa que pensa no meio ambiente. Inauguração em junho com loja virtual.

Nenhum comentário:

Postar um comentário