sábado, 4 de dezembro de 2010

O meio ambiente por trás das negociações

A todo momento eles estão negociando, eles negociam os limites, eles negociam o que deve ser protegido, negociam até quando deve ser protegido, negociam até se vale a pena algo ser protegido, sendo que vai perder tanto dinheiro sem explorar 'aquilo'. E ao mesmo tempo existem pessoas, sociedade organizada/ desorganizada agindo, pressionando os senhores das negociações ambientais mundiais em suas reuniões de cúpula que só servem pra deixar tudo formalizado e etc, serve na verdade sem meias palavras, pra legalizar o que está errado. E eles são espertos, fazem de tudo pra desarticular qualquer coisa que vá de contra o seu ganho de capital. Seduzem, conspiram, inventam, mobilizam, fazem marketing, vale de tudo.

Por exemplo: Tal país polui demais, poluem absurdo, só que parar esse país não tem jeito, então o que eles fazem, impõe um limite, então tal atividade pode só poluir até tal ponto. E aí pressionam outro país ou fazem com que o outro não cresça, porque crescimento demanda mais consumo enérgético, mais recursos, mais exploração e etc..

Entenda uma coisa: Não há crescimento econômico de um país, sem crescimento da exploração de recursos do planeta. Então as negociações envolvem muito interesse político e como sempre, uma conferida pra ver se não abalará os negócios, ou potenciais negócios! Que no final das contas é pra atender uma demanda da sociedade, que é consumista e a gente sabe que é só ter produtos à oferecer que a sociedade compra, mesmo se tal produto não for útil, é só fazer um bombardeio de propagandas que a sociedade engole, isso é fato, e essa língua é a do dinheiro, que movimenta a economia e pulsa na veia dos grandes capitalistas.

Isso não é só visto em nível mundial, é só você ver os zoneamentos de municípios, locais de preservação que deveriam ser preservados considerados como área urbana ou permitido o uso normal desrespeitando os limites de equilibrio de um certo ecossistema.

Então é isso, as negociações ambientais envolvem muito a legalização do que está errado, e pouco avanço, pouco avanço pra pressa de recuperação que o planeta precisa. Em contrapartida, esses pequenos avanços, acordos e legislações, são a única maneira de nós ambientalistas lutarmos por algo, ou se basear em alguma diretriz para lutar... Pense, o sistema funciona assim! Pra salvar o meio ambiente devemos ter consciência disso, conhecer o inimigo, lutar e fazer por onde, não ficar gritando sem direção, e com qualquer bandeira, é preciso ter foco.

Mas eles, os governantes, representantes, senhores da decisão mundial, continuarão lá em suas cadeiras, com seus ambientes preservados, sempre com o filet mignon, mantendo seu níquel acumulado nos cofres, mas acreditem, as coisas estão mudando, eles estão entendendo que podem ganhar dinheiro com coisas sustentáveis, essa transição eu torço pra que aconteça rápido.

Toda luta é válida, sem extremismo porquê você também consome, você precisa de insumos do planeta pra viver, o lance é ser sustentável porque ninguém vive da luz do Sol somente.

O meio ambiente precisa de conscientização, multiplicação de idéias, voluntariado, militância, educadores, cidadãos de todo estilo, assim na hora da negociação ou dos limites, todos aprenderemos que os limites não envolvem certo ganho de capital, envolve nosso limite e qualidade de vida.

Eu acredito que as coisas vão mudar, enquanto isso, não desista e passe adiante as boas idéias! Porque quem pensa com o objetivo número 1 no lucro, dificilmente fará algo, agora se a nova geração pensar no objetivo número 1, na vida, aí podemos ficar tranquilo que a coisa anda ;)

Nenhum comentário:

Postar um comentário