quarta-feira, 28 de julho de 2010

A história das coisas

O post de hoje e último do mês, é baseado num vídeo bastante popular no youtube, onde uma menina especialista nas questões ambientais desenrola sobre a história das coisas. Coisas que representam na verdade, os produtos, tudo que consumimos, e por trás disso as questões ambientais, políticas e sociais.(Veja o vídeo completo no final do post! aprox.21min)


Ela mostra que tudo que temos e consumimos tem uma história até chegar em nossas mãos, história que muitas vezes envolve escravidão de pessoas, corte de direitos trabalhistas, desrespeito ao meio ambiente e muita sujeira política. E o preço que pagamos pelo produto é sempre fantasioso pois não reflete o verdadeiro preço que o produto vale, portanto alguém sempre paga por isso, e quem paga são as pessoas que perdem seus direitos e trabalham absurdamente, e o meio ambiente que é explorado de maneira insana. Agregado a isso, também tem as doenças que nos aflige por esse sistema impiedoso.

Portanto, você que simpatiza com as questões ambientais, que gosta do assunto, separa lixo limpo, que quer ver um mundo melhor. Você que trabalha ou estuda na área de meio ambiente, ou que é um cidadão que faz a diferença, não deixe de assistir esse vídeo, é muito informativo e vale muito a pena.



Deixe seu comentário! :)

domingo, 25 de julho de 2010

Abastecimento mundial, uma preocupação para evitar o caos!

Um dia você acorda, quer beber um copo d'agua, vê que não tem água em casa, o galão de 20 litros não foi renovado e está vazio, a água da torneira é bem inviável, visto a quantidade de cloro que ela contém para seu tratamento, além do fato de não ser filtrada. Você também não possui aqueles filtros que pegam a água da rede e a deixam pronta para o consumo com as opções de 'natural' ou 'gelada', então você sai e compra no mercado ou padaria, uma garrafa d'agua para beber, envasada lá em Campos do Jordão por exemplo ou qualquer outra cidade.


Esta, em embalagem plástica selada há muito tempo com aquele plástico curtindo e se foi exposto a grandes temperaturas, nos tranportes e armazenamentos temporários até chegar a prateleira, já soltou elementos do plástico na água, que você vai beber, mas é um pouco insignificante, porém, está longe de ser a água que a mãe natureza nos oferta.

Assim como os alimentos, quantos dos alimentos que comemos estão longe de ser a oferta da mãe natureza? A quantidade de alimentos modificados maquiados por uma embalagem dentro das normas e que faz parte de nossa rotina, muitas vezes é química pura. Acidulante, aromatizante, corante, conservante, é tanto 'ante' que os alimentos são quase que uma fantasia. Sabor uva, que delícia! Surpresa! Tem apenas 1% de uva. Mas isso é apenas a ponta do Iceberg, e faz parte de uma necessidade de suprir a demanda e a oferta de nós consumidores e o abastecimento, que é assunto desse 'post'.


Sim, o abastecimento pra ser viável, torna-se difícil o cultivo de tudo integral e 100% natural, além do que, como vou colher uma fruta ou produto e ofertá-lo para um consumidor, além de deixar exposto na prateleira por 10 dias até ele comprar? Como farei isso sem os 'antes' citados acima, além de agrotóxicos? Não é possível, não nesse sistema. O abastecimento de toda população não é possível sem o uso de química tornando os alimentos quase que artificiais. Mas o que é plausível, porém precisariamos viver todos com características de cidade do campo, seria a agricultura de subsistência, fazendo com que a pressão no abastecimento fosse menor.

A agricultura de subsistência é embasada no fato de cada proprietário ou família produza plantando uma boa parte ou talvez a totalidade de seus alimentos, tornando quase que sustentável seu modo de vida, e também tendo mais qualidade de vida, porque estariam ingerindo menos química e produtos artificias, os temíveis 'antes', com certeza haveria diminuição de algumas doenças, uma delas, o câncer.

É nesse cenário que vemos o quanto estamos reféns do abastecimento. Navio, caminhão, trem, são tantos os meios de transporte circulando abastecendo a população que qualquer colapso que afete o abastecimento, milhões de pessoas morrem de fome em semanas, e isso já acontece com as pessoas que vivem na miséria morrendo de fome todo dia. Você não consegue hoje numa cidade se sustentar somente pela natureza, você precisa comprar algo para se manter, estamos longe, muito longe da natureza. Estamos grudados no sistema do dinheiro. Onde você consegue água da natureza pra beber hoje? Resposta: Não há! Se quiser uma fruta, talvez consiga umas 3 frutas diferentes porque sua vó ainda tem no quintal dela, mesmo assim não te sustentará.


Se o ser humano não se atentar a isso, cuidando do meio ambiente e pensando numa nova distribuição populacional auto-sustentável, ficaremos reféns do abastecimento que é comandado por interesses comerciais. Não bastasse o fato da comida e a água chegar até os locais de destino, ao chegar, mais de um terço dos alimentos são desperdiçados, viram lixo, ficam na prateleira até vencer, e pessoas morrem de fome no mundo todo, aproximadamente 2 bilhões de seres humanos dormem com fome todo dia e vivem subnutridos, algo está muito errado.

sábado, 24 de julho de 2010

Elimine tudo que atrasa sua vida!

É sem dúvida uma palavra forte, talvez simples ou mais usual pra pessoas menos enraizadas ou mais aventureiras que não gostam de rotina, mas a palavra "eliminar", ainda mais por se tratar de nossa vida, é uma coisa indescritível, marcante, traumatizante, amedrontadora.

Já parou pra se questinar "O que é importante na sua vida?". Após responder essa pergunta você se programou para deixá-las em ordem de prioridade e despender seu tempo de acordo com a importância de cada ítem? Não?! Ok! Tudo bem se na frente haver um objetivo que tal prioridade pode no momento não ser prioridade.

Mas se pararmos pra pensar e nos reprogramar, veremos que o tempo, que é tão precioso e preocupante em nossas vidas, é desperdiçado porque vivemos sem objetivo, vivemos cada vez mais em objetivos coletivos, muitas vezes levados pela onda dos padrões que a sociedade acaba impondo e que deixa agente pesado e preso para aquilo que eventualmente nos faria feliz, completo e satisfeito.

Imagine agora que você está andando em um carro que representa sua vida, sua jornada. Concorda que pro carro percorrer o caminho mais rápido e se arrastar menos, tendo uma melhor performance, eu tenho que eliminar o peso desse carro? Assim é nossa vida, se você não eliminar o peso que te trava, como quer ter uma melhor performance na sua jornada? Deixando o carro incompatível com o perfil que tenha mais tendência para atingir o objetivo, você caminha cada vez mais em vão, e se engana com suspiros de esperança que te faz continuar num véu de ilusão alimentado pela sociedade.


E vivemos nos arrastando, e cada vez que estamos mais distante de nossa felicidade, o que nos satisfaz são felicidades alheias na qual nos imaginamos temporariamente fazendo parte dela. Seja quando mergulhamos nossas vidas nas novelas, nos jogos de futebol, canalizando toda nossa energia para coisas que estão distante da nossa verdadeira possibilidade de fazer a diferença, e isso muda se vermos em nós mesmos o agente transformador de nossa própria felicidade.

Não é uma felicidade comprada ou adotada pelos padrões tradicionais, então para isso, eliminar o que nos prende, faz com que nosso carro fique mais leve, fique menos aflito ajudando nossa mente e nosso corpo à galgar sonhos antes pouco plausíveis. E assim, não é necessário mergulharmos em felicidades alheias fabricadas pela sociedade, pois daremos valor mais à nós e nossos sonhos, porém, sem deixar de apreciar e bater palmas para a felicidade alheia também, pois ser humilde é um legado importantíssimo para ser feliz.

Sabendo da importância de se eliminar o que não nos faz bem ou o que só nos deixa aflito e ansioso, você vê pessoas presas em namoros e relacionamentos que resistem apenas pelo medo de vivermos fora do padrão da sociedade, sociedade essa que transforma as pessoas e coloca na cabeça delas que é imposssível elas viverem e vencerem na vida sozinha, termo esse que é bem deturpado.


Vencer sozinho ninguém vence, temos ajuda de amigos, pessoas do bem, familiares e pessoas que cruzam nossos caminhos e tem a mesma sintonia da gente, mas o sozinho que as pessoas confundem é o sozinho de relacionamento. E com isso, ficam postergando relacionamentos doentios que só lhe trazem mal, que só as deixa bonito pra fora porque a sociedade vê que tal pessoa é legal, ela namora há X anos, agora está noiva e vai casar, nossa que legal né?! Sim, legal se o coração da pessoa condiz com essa realidade, é fascinante! Mas quantas pessoas tem medo de eliminarem relacionamentos que não são bons pra ela porque as pessoas não podem enxergar ela sozinho ou começando do zero, cada vez mais afundado o pé na lama, as pessoas tem medo de tentar sair, e então, se afundam até o pescoço.

Esse exemplo também é excelente no ambiente profissional, você já reparou quantas pessoas não gostam nem um pouquinho do seu trabalho? A nossa sociedade impôs que temos que trabalhar por dinheiro/status e não por vocação ou prazer, será que a sociedade seria menos doente se isso não fosse verdade? Eu tenho certeza que sim! Mas e o medo? O que as pessoas vão dizer né? O que sua família vai dizer? Talvez uma família conservadora diga: "Filho, você seria a terceira geração de engenheiros da família! E faz isso?". Quantas pessoas já não ouviram coisas desse tipo? Várias!

Fruto de uma sociedade doente que não aprendeu a eliminar o que não as faz feliz, e quando tem essa consciência já não tem tanta saúde ou disposição pra correr atrás tudo denovo, e então o medo da impossibilidade e a comodidade de já estar onde está, adotamos a inércia como virtude de vida.

Nós não aprendemos a lidar com esses melindres da vida, o que fariamos se o medo não fizesse parte da gente? Nos dariamos mal em muitas ocasiões, mas iriamos muito mais longe em várias outras. Agora um passo simples e de muita coragem é: Elimine tudo que te pese na vida!


Está na hora de eliminar o que te atrasa e ir atrás do verdadeiro prazer de viver e do sentir-se feliz. A felicidade é um estado e não uma coisa que se busca e fica parado nela. A felicidade é flexível e se você não for como ela, será infeliz. Portanto não tome suas atitudes pensando em padrões ou no que parece mais usual, ouça um pouco o coração, porque o corpo em sinergia também sente, e sendo assim ficará mais fácil você estampar um sorriso no rosto sempre. Pense nisso!



Curta a página do blog Verde Filosofia também no facebook :)

http://facebook.com/MelMascavo

Conheça a mais nova marca de roupas de algodão. Ecológicas, confortáveis, 100%brasileiras! Uma alternativa que pensa no meio ambiente. Inauguração em junho com loja virtual.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

O presente é um "presente" que costumamos não abrir!

Estamos em 2010, 2 anos antes de um especulado 2012, porém 10 anos depois de um especulado "Bug do Milênio", e profecías furadas que foram alimentadas e reproduzidas por pessoas de vários credos e locais do globo. Sim, pessoas que encontramos no nosso dia-a-dia, sempre conhecemos um primo, um amigo, um colega de trabalho, cada qual com uma idéia do que virá.

Vivemos cada dia mais pensando e especulando no futuro, o engraçado é que fazemos isso com sinais que são muitas vezes pedaços de quebra cabeças da imaginação, de um fato aqui, uma coincidencia da natureza ali, um trecho da bíblia acolá, um mito não sei daonde, e enfim chegamos no quebra-cabeça que quem fez foi nossa cabeça. É ou não é?



Ahhhh, mas foi um especialista que falou, o padre, o bispo, o papa, o presidente, o renomado conhecedor de tal assunto, porém, pare e pense: Também são pessoas que formataram um quebra-cabeça e fazem dele um ideal coletivo muitas vezes em pról de um interesse próprio. Aonde eu quero chegar? Com isso tudo eu chego a conclusão que o mais importante é o presente, coisa que vivemos esquecendo.

Sim, vivemos esquecendo, tomamos a maioria de nossas atitudes por fatos do passado, ou pelo simples fato do "se" do futuro, e perdemos nosso bem mais precioso, o presente.



Este presente não volta, este presente só fica marcado no coração, que depois quando vira passado, voltamos lá na memória e ficamos estáticos sorrindo que nem bobo, muitas vezes de frente pra uma parede, parece até que nossos olhos estão vendo aquilo que ficou no passado, e pensamos: "Nossa, se acontecesse isso denovo, eu iria comemorar o dobro, eu iria gritar o dobro, eu iria amar o dobro, eu iria festejar o dobro!"

Será que é por isso que nós, donos da razão, vemos um idoso todo alegre com um fato simples se divertindo demais, pensamos que ele é exagerado ou bobo, pensamos que tal coisa é sem graça e que não entende aonde a pessoa vê tanta graça. Será que é porquê ele realmente já pensou isso tudo e sabe que os momentos tem que ser aproveitados com a intensidade do presente, e a idade avança, eles sabem que vão viver poucos momentos presentes porque o futuro que ele sempre tinha certeza, a morte, já está perto.

É uma reflexão que precisamos fazer, como diz uma música do Natiruts: "Não menospreze quem beija você", e como diz uma música do Lulu Santos: "A vida vem em ondas como o mar". Então que tal droparmos todas elas, fazer um Hang Loose e gritar "Uhullll" brindando a vida, no presente!




Curta a página do blog Verde Filosofia também no facebook :)

http://facebook.com/MelMascavo
Conheça a mais nova marca de roupas de algodão. Ecológicas, confortáveis, 100%brasileiras! Uma alternativa que pensa no meio ambiente. Inauguração em junho com loja virtual.