terça-feira, 9 de agosto de 2011

O trânsito mortal, para o físico e para a mente

As cidades crescem cada dia mais sem o mínimo de cuidado em termos de infra-estrutura para nossas reais necessidades, por exemplo, os deficientes físicos raramente são contemplados com uma infra-estrutura adequada numa cidade pequena ou grande. Não bastasse a falta de rampas e acessos para esse cenário, ainda há pessoas que desrespeitam este problema, ocupando vagas para deficientes ou parando o carro na frente de rampas de acesso e etc... Sim, este é um problema do trânsito, existem vários outros.

Nesse contexto também há o desrespeito ao pedestre, ao ciclista, ao motociclista, quando carros (e hoje os carros estão cada vez maiores parecendo tanque de guerra) passam por cima das faixas, não respeitam sinais vermelhos, ultrapassam e andam fora dos limites permitidos, sem contar as situações em que a pessoa bêbada MATA! TIRA VIDA NO TRÂNSITO! São potenciais assassinos no volante.

Vamos medir forças?

Quem ganha, carro ou moto? Pelo tamanho, o carro!
Quem ganha, carro ou pedestre? Pelo tamanho e pela insignificância física de um pedestre, o carro ganha.
Quem ganha, carro ou bicicleta? Com certeza o carro também!
Quem ganha, moto ou pedestre? Moto.
Quem ganha, ciclista ou moto? Moto provavelmente.
Quem ganha, um carro ou outro carro?

Aí tem-se um problema, se essa pergunta for feita pra retardados mentais, eles irão tirar um racha podendo matar algum inocente e te responder, se for feita pra uma pessoa que tem no trânsito apenas uma situação de se locomover realmente, ela dirá que não importa se um carro é melhor e pior que o outro, pois esquecemos que o objetivo é se movimentar. Pra que serve o carro? Nos movimentar, transportar e ponto.

Pois bem, e todos eles vivem e andam juntos em suas idas e vindas, portanto a desobediência de qualquer regra de trânsito nesse complexo e mesclado cenário, pode ser trágica. Seguir todas as regras é essencial para um trânsito sadio, coisa que não acontece atualmente, algo está errado, na verdade, tudo tem um pouco de errado e o resultado que vem à tona são essas tragédias diárias e descontroladas.

Não só o carro, mas motociclistas imprudentes também são assassinos potenciais, pedestres que atravessam em qualquer lugar, tiram atenção de um carro que desvia e atropela outra vítima, ônibus que tem que cumprir horário, caminhões que pelo seu tamanho gigante não tem o tempo e flexibilidade e resposta de um veículo leve, enfim, são inúmeras variáveis que tornam o trânsito perigoso, todos podem ser mortais e mesmo assim, pessoas irresponsáveis, sejam elas, motociclistas, ciclistas, caminhoneiros, motoristas de carro, teimam em desrespeitar as regras do trânsito e o respeito ao próximo.

Bebida e volante não combinam, mas isso ainda é difícil de entrar na cabeça de pessoas que se acham o supra-sumo da existência, o ego inflado e cheiroso da nata do ser humano, pessoas que se acham importante escondendo sua insignificância e miserabilidade por trás de um título e status de uma sociedade (doente e capitalizada), ou então pessoas que veem no trânsito uma das únicas maneiras de chamar atenção, ou atrair a pessoa do sexo oposto, ou se socializar, ou tirar o complexo de inferioridade, até mesmo inferioridade econômica, revidando ou descontando no trânsito em outras pessoas que não tem nada à ver com aquilo, enfim, este é o trânsito. Sem contar as pessoas que vivem egoístas e cada um nas suas verdades fazendo suas próprias regras, dando broncas nas buzinadas, não aceitando a buzina corretiva de outro, ouvindo suas próprias músicas ou trancafiados no ar-condicionado isolador sem ouvir o som de fora do carro que é essencial no contexto para evitar acidentes, ou colocando sons que fazem tremer janelas, pessoas e irrita os ouvidos de qualquer ser vivo.

Um cenário mortal, se você não pratica direção defensiva? Pratique! Porque a evolução e elevação humana para conseguir praticar o respeito ao próximo e as regras do trânsito está anos-luz atrasada, embora os automóveis que consumimos estão cada vez mais incríveis parecendo naves espaciais, tanques de guerra, e designs futurísticos, o respeito e o olhar em entender que o trânsito, a vida, as regras do trânsito não são mensuradas pelo valor capitalista do seu meio de locomoção está longe de ser entendida.

O trânsito virou o local de medir forças, de competir, de esnobar, ou tentar transpor os fracassos pessoais em cenas cotidianas, é por isso que vemos buzinas excessivas e sem paciência em alguns casos, também vemos pessoas fazendo coisa errada e desafiando os outros, ou seja, não dão o braço a torcer, o trânsito virou um muro de lamentações, onde todo mundo quer ter razão, poucos pedem desculpa, outros erram e continuam irredutíveis, arrumando briga e achando inaceitável que alguém lhe chame atenção.

É por isso que o trânsito é um local mortal para nossa mente e nosso físico. TOME CUIDADO, PRATIQUE BOAS AÇÕES! NÃO PODEMOS PERDER ESSA LUTA PARA O MAL!

Abaixo, está uma foto que tirei numa estrada do litoral norte do estado do Rio de Janeiro, ela diz: FILHO. ESTAMOS TE ESPERANDO. NÃO CORRA. Eu achei fantástico e acredito que uma simples placa como esta pode sim salvar vidas. É um bom exemplo pras pessoas pensarem, falta para nós, pensar!



Agora com um zoom:

Até o próximo post! Muita paz no coração!


http://facebook.com/MelMascavo

Conheça a mais nova marca de roupas de algodão. Ecológicas, confortáveis, 100%brasileiras! Uma alternativa que pensa no meio ambiente. Inauguração em junho com loja virtual.

sexta-feira, 18 de março de 2011

Consumação, grande enganação!

Virou moda nas baladas e casas noturnas o artifício da consumação, que nada mais é do que vender antecipadamente pra você os produtos, muitas vezes com valores que não batem com os preços dos produtos, por exemplo, consumação de R$10, mas a cerveja ou refrigerante tem preço tabelado de R$4, então você consome 2 desses produtos e tem gastos R$8, daí você pensa: Não posso deixar R$2 assim de graça, vou pegar mais um refrigerante ou cerveja pra recuperar... Mas aí você gasta R$12, ou seja, você foi seduzido a consumir mais pelo fato da consumação te deixar refém do consumo.

Estou postando isso porquê quem quer fazer algo por meio ambiente e contra o pensamento somente no dinheiro, deve ter aversão a esse lance da "consumação"(consumir e consumir e gerar resíduos), e ficar refém de gastar pra não perder dinheiro(pensar no gasto do dinheiro, de quanto ainda tem que gastar pra consumir).

Inventaram isso de maneira brilhante, mas e o povo que frequenta? Geralmente não tão nem aí, nunca boicotaram esse tipo de coisa, e as vezes realmente não tem escapatória, e essa pratica tem sido cada vez mais usada. É garantido a venda dos produtos, além do que, diga-se de passagem, produtos com ganhos totalmente surreais aos valores de produção, com ganhos de 100%, 200% para o comerciante final, um absurdo. Enquanto quem produz o produto, ou então quem explora a matéria prima proveniente daquele produto tem uma fatia e porcentagem pequena de ganho, a capitalização final da venda disso traz um montante desproporcional apenas para uma pessoa, dentre as várias que estiveram no processo de fabricação, distribuição e venda desse produto. Acha isso justo?

Tudo isso por trás da cortina da consumação, uma baita enganação!

Aí, partindo pro bolso do cidadão, pasmem, tem gente que acha vantagem a consumação, com certeza essa pessoa precisa de muita informação e ajuda porque ela foi fisgada pelo sistema consumista com a filosofia de comprar e consumir constantemente. Temos que parar com isso já! Conversando sobre o assunto com amigos, disseminando, porque além de tudo, pensem pelo lado ambiental, o consumismo deve ser evitado e não incentivado.

Há festas e baladas que as pessoas dizem: AHHHH VALE A PENA... PAGA R$60 MAS CONSOME R$40!

Meuuuu, porque as pessoas adotaram esse modo tão imbecil de pensar??

Com R$40 você compra bebida pra uma semana no supermercado, como pode gastar isso em um dia, mas especificamente em algumas poucas horas?

Pra quem não bebe então, a consumação é um martírio, porquê geralmente água e refrigerante são mais baratos que bebidas alcóolicas e você tem que beber uns 3 litros pra consumir o que foi forçado, mas sabe o que é pior?

O consumo forçado de quem também bebe pouco mas acaba bebendo mais, porque afinal de contas tem que consumir o dinheiro, NÃO PODE PERDER DINHEIRO NÉ?!
Então a pessoa bebe além da conta pra consumir os R$30 R$40 R$50 reais de consumação, se tornando mais conusmista do que é, bebendo mais do que pode, e quiçá virando um alcoolatra, e perdendo a noção do dinheiro, perceberam o perigo por trás dessa prática?

Com essas coisas, as pessoas gastam muito dinheiro com essa superficialidade perante à coisas mais importantes em sua vida, dependendo do que cada um ganha, mas tem pessoas que gastam R$100 em uma noite por bebida, as vezes até mais, quando querem se mostrar e se aparecer pros amigos dizendo que comprou uma garrafa de uma bebida cara, e o babaca gasta R$150 R$200 pra ficar sorrindo de alegre e esperar que alguma outra alucinada que nem ele, agarre ele na noite. Armadilhas e labirintos do consumo e das badalações.

Outro ponto que nos afeta é os 10% em bares e restaurantes. Pra começar acho que os garçons e pessoas que prestam serviços tinham que ganhar decentemente e não ficarem refém de 10% que muitas vezes nem são passados pra eles de maneira correta. Agora, nós consumidores que já pagamos diversos impostos, várias e várias porcentagens de impostos embutidos em tudo quanto é coisa, até mesmo no produto que está no cardápio do bar e restaurante, quiserem ainda em cima disso botar mais 10%, na boa, NÃO DÁ!

Ainda bem que isso é opcional, porque muitas vezes esses 10% são insanos dependendo do lugar, quando já é caro. Agora quando o local é barato e o atendimento é de primeira, eu até costumo deixar os 10% por saber o trabalho complicado dos garçons e por me comover um pouco, porém isso tem que mudar, não somos nós que temos que ficar constrangidos por não pagar. Ou então por exemplo, uma vez em um lugar que você é mal atendido, e os 10% dá algo em torno de uns R$8, o dono do estabelecimento fica enrolando, perguntando o motivo e blá blá blá, fica chorando dizendo que os garçons não iriam ganhar, que eles não ganham nada e tal. Por que eles não tiram um pouco o lucro deles e passam pros garçons? E não nós, resolver o problema de salários de seu pessoal.

Mas dentro de todo esse circo da consumação e dos 10%, existe um grande enganado, nós, os consumidores