terça-feira, 24 de abril de 2012

Vivemos numa sociedade de "diplomas"

Os rótulos estão por toda parte, e nós por natureza rotulamos as coisas, definimos e estereotipamos, até mesmo como uma maneira de discernimento próprio, entretanto, na sociedade de hoje, a necessidade de tais definições, quando olhada pelo lado profissional/acadêmico/status pessoal, é cada vez mais preocupante.

Sim, todos se preocupam em conseguir diplomas, fazer cursos, treinamentos, especializações e etc, a impressão que fica é que é pra se achar num ponto de "inquestionamento", de sabedoria, de superioridade, mas não de contribuição social e ajuda mútua do próximo. Muito pelo contrário, vai guardar a 7 chaves algum conhecimento, ou porque acha que só ele é o "bonzão" de tal coisa, pra justamente manter a pseudo-hegemonia e achismo de que é demais e tem status superior a maioria.. Acreditem.. muitas pessoas são assim.. é esse o jeito de viver delas.. - Como é que é? O que você disse? Fique sabendo que eu tenho diploma de "tal" coisa, quem é você pra falar isso?

.......Prontooooo, o intocável se manifestou, a tristeza é maior quando este diplomado, pode estar redondamente enganado menosprezando assim a opinião de uma pessoa qualquer que não tem diploma de determinado assunto, mas teve uma vivência, um pensamento, uma reflexão e chegou a uma conclusão. Cada vez mais estamos perdendo isso na sociedade. Saber ouvir os outros, praticamente não existe mais. Hoje é tudo na base da carteirada.. SABE QUEM EU SOU? SABE QUE DIPLOMA EU TENHO?

Até quando isso vai ser arma em nossos relacionamentos cotidianos?

É óbvio que é importante saber que fulano tem tal qualificação, mas isso é muito aceito quando vem de maneira didática e pra somar numa situação, ou até mesmo o fulano pra se defender de alguma acusação ou pra fazer uma denúncia sobre algo de sua formação ele tem que dizer que é habilitado pra isso, já que assim funciona a sociedade.

Mas acho que desvirtuamos o caminho, e virou uma guerrinha de vaidade, e como tudo nesse sistema funciona muito na base do dinheiro, vemos uma falta de qualidade enorme em diversos cursos, onde muitos alunos, vão realmente pra pegar o diploma. Muitos pensam assim, só querem o diploma, tão nem ligando pra valores, filosofia, conduta de tais funções. Definitivamente, esse não é o caminho.

Eu acho que precisamos ser mais humildes, pois fazemos cursos e ganhamos diplomas e títulos por se aprofundar em assuntos, mas nunca saberemos tudo, e diante disso, não devemos nos colocar como o máximo, podemos nos colocar como entendedor e travar a batalha mostrando o caminho, como quando travamos uma batalha com uma pessoa ignorante que não tem embasamento, e devemos nos impor com didática e conteúdo sobre o tema, como por exemplo, assuntos ambientais, ainda tem gente que acha que o sistema do ser humano não é responsável pelo aquecimento global, que acha que o homem não é tão cruel com a natureza, então diante dessas incoerências devemos nos impor de maneira embasada e didática com conteúdo.

Agora, ficar se gabando e esfregando na cara dos outros que tem diploma disso e daquilo, ficar dando carteirada de vaidade mas sem ter conteúdo nenhum, isso é uma enorme incompetência. É o mesmo tipo de pessoa que dificilmente gosta do que faz, não tem valores, não tem conduta, só quer diploma pra ganhar dinheiro. E a sociedade nessa pressa consumista e de preencher espaços de mercado aqui e acolá exige mais diplomas do que valores, e ficamos nessa palhaçada, nessa falsidade, nesse grande mercado de rótulo e certificações... nesse vazio de hoje, numa sociedade de diplomas e dinheiro, que só dão valor a isso, mas quando se fala de valores e conhecimento da vida, ninguém liga, porque não dá retorno financeiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário